Participe das Iniciativas

O SulAmérica Saúde Ativa foi feito para você! Por isso trazemos iniciativas
para uma vida mais saudável, que oferecem cuidados por completo.

Iniciativa desejada

Dados pessoais

/ /
-
*Campos obrigatórios

As Iniciativas Saúde Ativa estão disponíveis para os Segurados SulAmérica Saúde. Para conhecê-las, clique em Pra Você > Iniciativas.

Se preferir, entre em contato via e-mail saudeativa@sulamerica.com.br ou pela Central de Atendimento
SulAmérica 0800-970-0500 para tirar suas dúvidas ou participar da iniciativa.

Recebemos seu interesse em participar do Saúde Ativa! Em breve entraremos em contato.
OK

Matérias



Hipertireoidismo e Gravidez: Riscos e Cuidados Saúde da Mulher

Home > Matérias > Saúde da Mulher > Hipertireoidismo e Gravidez: Riscos e Cuidados

Hipotireoidismo X hipertireoidismo: qual a diferença?

Enquanto o hipertireoidismo caracteriza-se pelo aumento da produção dos hormônios da glândula tireóide, o hipotireoidismo é a diminuição desses hormônios.

Seus principais sintomas são:

  • Depressão;
  • Desaceleração dos batimentos cardíacos;
  • Intestino preso;
  • Diminuição da memória;
  • Cansaço;
  • Dores musculares;
  • Sonolência;
  • Pele seca;
  • Queda de cabelo;
  • Ganho de peso;
  • Aumento do colesterol no sangue.

 

Durante a gravidez a mulher deverá ter um cuidado especial, caso apresente mais de um desses sintomas, informando seu médico obstetra, que a encaminhará para um endocrinologista a fim de fazer um rigoroso tratamento, uma vez que trata-se de um fator de risco para a gravidez.

Hipotireoidismo: um assunto de risco...

Estudos indicam que há relação entre problemas cognitivos e diminuição de QI em bebês de mães com hipotireoidismo, o que faz dessa doença um fator de risco alto para a gravidez. No entanto, quando tratado, o hipotireoidismo não traz prejuízo ao bebê. Por isso é extremamente importante que a gestante faça o controle dos níveis hormonais por meio de exames específicos, ajustando com o médico a dosagem da medicação.

Ao primeiro sinal dos sintomas, a gestante deve buscar orientação do médico obstetra. As gestantes que fazem parte do Programa Futura Mamãe podem ainda contar com o apoio da equipe dos profissionais de saúde especializados, que estão sempre prontos a tirar dúvidas e encaminhar o problema para o médico responsável.

Portanto, não perca tempo! Não vale a pena correr riscos!  A dosagem da medicação deverá ser ajustada também durante o período de amamentação, para que o bebê possa aproveitar totalmente e com segurança todos os benefícios do aleitamento materno.

 

Voltar