Participe das Iniciativas

O SulAmérica Saúde Ativa foi feito para você! Por isso trazemos iniciativas
para uma vida mais saudável, que oferecem cuidados por completo.

Iniciativa desejada

Dados pessoais

/ /
-
*Campos obrigatórios

As Iniciativas Saúde Ativa estão disponíveis para os Segurados SulAmérica Saúde. Para conhecê-las, clique em Pra Você > Iniciativas.

Se preferir, entre em contato via e-mail saudeativa@sulamerica.com.br ou pela Central de Atendimento
SulAmérica 0800-970-0500 para tirar suas dúvidas ou participar da iniciativa.

Recebemos seu interesse em participar do Saúde Ativa! Em breve entraremos em contato.
OK

Matérias



Dormindo mal? Sua saúde pode estar em perigo Estilo de Vida

Home > Matérias > Estilo de Vida > Dormindo mal? Sua saúde pode estar em perigo

Insonia_BaixaA insônia é um dos distúrbios mais frequentes e preocupantes da sociedade. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mais de 40% da população brasileira sofre desse mal. Nos Estados Unidos, o problema foi considerado epidemia pública pelo Centers for Disease Control and Prevention, agência de saúde do governo, que contabilizou cerca de 70 milhões de americanos diagnosticados com o distúrbio. 

Com a rotina intensa das cidades, dormir ao menos 7 horas por noite, como recomendam os médicos, tem sido cada vez mais difícil. Entre as queixas mais comuns de quem tem dificuldades em pegar no sono estão a falta de concentração, irritabilidade e cansaço. Em longo prazo, as consequências se tornam mais graves podendo afetar a cognição – conjunto de habilidades necessárias para a obtenção de conhecimento, como memória, linguagem, planejamento e estratégia.

O sono é o único momento em que o cérebro tem para recuperar o fôlego. Se isso não acontecer, os neurônios (células cerebrais do sistema nervoso) entram em colapso e podem morrer para sempre, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Centro de Sono e Neurobiologia Circadiana da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos. Essas células desempenham um papel importante em nosso estado de vigília e alerta.

Além disso, o cérebro de uma pessoa insone, na faixa dos 20 anos, é muito similar ao cérebro de alguém mais velho, em que as células nervosas são menos eficientes ao filtrar toxinas.

Como a falta de sono pode afetar a memória

Quando as luzes se apagam e você dorme, o cérebro trabalha em quatro ciclos diferentes do sono, cada um responsável por uma função. O REM (sigla em inglês Rapid Eye Movement) é a etapa final do sono profundo e está relacionada à assimilação das informações recebidas durante o dia e à consolidação da memória.

Portanto, uma boa noite de sono não é só importante para o descanso do corpo, como também é crucial para manter as habilidades de aprendizagem e memorização do cérebro, uma vez que quem acorda no meio da noite prejudica alguns processos do REM, voltando à fase inicial dos ciclos. 

Para dormir bem

  • Tente dormir e acordar sempre no mesmo horário todos os dias
  • Mantenha uma rotina fixa de exercícios físicos. Porém, recomenda-se praticá-los até três horas antes de ir para a cama
  • Tome um banho bem relaxante
  • Leia um livro e tome um chá (sem cafeína)
  • Termine de comer três horas antes de dormir
  • Deixe seu quarto bem confortável e escuro

O que evitar antes de dormir

  • Evite ingerir bebidas que contenham cafeína e álcool
  • Não fume
  • Se estiver com dificuldades para dormir, não fique na cama virando de um lado para o outro, pois isso poderá deixá-lo irritado. Faça alguma atividade relaxante e depois volte.
  • Evite ações que possam deixá-lo tenso, como trabalhar antes de dormir ou olhar os e-mails.
  • Desligue todos os aparelhos eletrônicos. Isso porque as luzes emitidas por esses aparelhos, como o celular, por exemplo, inibem a produção de melatonina, hormônio responsável por induzir ao sono

 

 

 

 

 

Voltar